segunda-feira, 1 de setembro de 2014

MEMÓRIA TOPONÍMICA DOS VIAJANTES NATURALISTAS (Francisco de Assis Carvalho)

A Toponímia é o estudo dos nomes atribuídos ao espaço habitado pelo ser humano. A palavra é derivada dos termos gregos τόπος (tópos), lugar, e ὄνομα (nome), literalmente, o nome de um lugar. É pela linguagem, pelo processo de nomear as coisas e tudo o que existe que o ser humano representa o "espaço".
......................................................
O ouro e a Estrada Real
O roteiro da Estrada Real elucida a importância da exploração do ouro para a economia brasileira e traz à memória fatos históricos que se ligam ao surgimento das primeiras vilas mineiras e à Inconfidência, bem como ao tempo do Império no Brasil. Esta rota movimentou, por mais de 150 anos, a economia do País, tornando a região das Minas Gerais uma das mais importantes da América.Os quatros caminhos que compõem a Estrada Real surgiram em tempos históricos diferenciados e sucessivos: a primeira via ligando a antiga Vila Rica, hoje Ouro Preto, ao porto de Paraty, ficou conhecida como "Caminho Velho". O Caminho Velho foi aberto pelos bandeirantes em fins do século XVII. Tinha 600 km de extensão e seu trajeto ligava Vila Rica (Ouro Preto), em Minas Gerais, a Parati, cidade portuária do Rio de Janeiro. Devido aos assaltos e aos roubos que ocorriam neste caminho, foi necessária a abertura de uma rota mais segura e menos lenta. No século XVIII surgiu esta nova rota, que veio ligar o Rio de Janeiro à antiga capital das "Minas Gerais", o chamado "Caminho Novo". O Caminho Novo passou a ligar Vila Rica diretamente ao porto do Rio de Janeiro. Com a descoberta de diamantes na região do Serro Frio, em 1729, foi estabelecido o "Caminho dos Diamantes", ligando Ouro Preto à atual Diamantina. O Caminho dos Diamantes foi de importância regional e começou a ser usado desde a descoberta das jazidas diamantíferas na região, no início do século XVIII, no chamado Distrito Diamantino. Neste percurso, a Coroa exerceu um severo controle com inúmeras proibições, ligando Vila Rica ao Arraial do Tijuco e à Vila do Príncipe. Paralelamente ao Caminho dos Diamantes surgiu o Caminho de Sabarabuçu, de curto trajeto. Este foi um prolongamento do Caminho Velho, tendo sido aberto pelos bandeirantes para facilitar o escoamento do ouro entre as vilas mineiras, hoje cidades de Sabará e Caeté. O surgimento da Estrada Real no cenário da colônia causou o deslocamento do eixo econômico que, desde o descobrimento, localizava-se no litoral, para o interior, proporcionando a formação de uma civilização urbana, marcada pela criação de dezenas de vilas e cidades com matizes sociais e culturais diferentes.
(Fonte: Trecho de artigo  transcrito de  pesquisa na internet realizada em 01 de Setembro de 2014 Link http://migre.me/loLTb
PIQUETE NO CAMINHO VELHO, NA  ESTRADA REAL  DO SERTÃO, NO CAMINHO DO  OURO, NO CAMINHO DA HISTÓRIA.