sábado, 20 de fevereiro de 2016

Instruções ao Capitão Joaquim Peres de Oliveira da Freguesia da Piedade, determinando a ocupação e Aldeamento dos Índios Bravos da Serra da Mantiqueira, espço Colonial de Piquete em 20 de março de 1768.

(Transcrição) Para o Capitão Joaquim Peres de Oliveira.
Torno advertir a Vossa Mercê que se governe pelas instruções que lhe tenho dado para efeito de manter de paz os Índios brabos da Serra da Mantiqueira abstendo-se Vossa Mercê absolutamente de martes, e antes Vossa Mercê se retire, do que as faça, por ser contrarias totalmente as ordens de Sua Majestade. 
O que o mesmo Sr. ordena é que os seus oficiais militares vão com sortimento de quinquilharias, e outros gêneros, que forem mais próprios, e agradáveis para lisonjear aos Índios, e os atrair a comunicação e familiaridade com os brancos, e que Vossa Mercê leve um Capelão, podendo ser que diga Missa na mesma forma que o costumam levar as bandeiras grandes que vão aos Sertões. E só ao depois, que eles tiverem já uso de tratar conosco; e tiverem admitido a nossa comunicação, e Sociedade então é que procuremos edificar onde eles vivem.....Igreja ou Paroquia, onde se lhe deixe um Pároco capaz de os alumiar e de lhes ensinar os Misteres da nossa Santa Fé para os depois os batizar e lhes administrar os outros Sacramentos, e instruí-los nas outras obrigações que tem de católicos e de Vassalos de Sua Majestade que Deus guarde. Para efeito farei consignar na Fazenda Real desta Provedoria suficiente côngrua ao Pároco, que houver de ir fazer este grande serviço a Deus nosso Senhor. 
Entretanto aviso Vossa Mercê do que necessita, para se lhe fornecer pela Real Fazenda todos aqueles gênderos e trastes miudos, com que hão de convidar os Índios para abrir com eles a comunicação e o comercio.  
Estes hão de ser os meios e as artes com que Vossa Mercê se há de introduzir com eles, fugindo de todas as violências e estrépitos de arma, que Sua Majestade manda proibir e que só servem de afugentar e fazer mais brabos os dos Índios; porque naturalmente hão de fugir e aborrecer a quem os matar e perseguir, e pelo contrário se hão de chegar a quem os afagar e alimentar. Assim sucede com os bichos e as aves ferozes desses matos que só primeiro ferem, e ao depois com a brandura se domesticam.
Tudo o referido hei a Vossa Mercê por muito recomendado e rogo a Deus guarde a Vossa Mercê como ...... São Paulo a 20 de março de 1768//
D. Luis Antonio de Souza// 
Fonte: Documentos Interessantes para a História e Costume de São Paulo, Oficio do Capitão General D. Luis Antonio de Souza Gotelho Mourão (Morgado de Mateus) 1768, volume 68, ano de 1944.