quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

O Jongo no Vale do Paraíba Paulista (Transcrição)

...............................................................................................................
Grupos de Jongo no Vale do Paraíba Paulista
São José dos Campos: O jongo em São José dos Campos apresenta características do Jongo carioca, como por exemplo, a palavra entoada para marcar a ruptura do ponto (término de um ponto para iniciar outro) no Rio de janeiro como em São José dos Campos é machado isso se deve na história recente ao jongueiro Laudeni que é natural de Barra do Piraí onde aprendeu o jongo com o pai mestre Dovalino de Souza em Barra do Piraí (RJ). Além da batida de São josé dos campos é mais parecida com a batida do caxambu típica do Rio de Janeiro. Quando veio morar em São José dos Campos trouxe o jongo como tradição familiar Hoje é responsável pela manutenção deste patrimônio cultural em São José dos Campos. Seu Laudeni de Souza fundou o grupo de JongoMistura de Raça ensaia todos os sábados no Ponto de Cultura OCA, na Vila Tatetuba a partir das 15hs. O grupo nasceu em 2002 em São José dos Campos como um trabalho de resgante do jongo que não era mais praticado em São José dos Campos, sendo apenas uma memória dos mais antigos.
Guaratinguetá: Existem os grupos de Jongo mais antigos do Vale do Paraíba é uma comunidade de jongueiros que existe a mais de 150 anos no bairro de Tamandaré, uma das poucas sobreviventes no País. As Associação Cultural Jongueira do Tamandarée Associação Cultural Quilombolas do Tamandaré mantem viva está tradição na cidade de Guaratinguetá.
Piquete: Em Piquete o reduto do Jongo[7] [8] é a Vila Eleotério. Até o século passado porem era no bairro da Raia que o jongo acontecia. No bairro da Raia havia a maior concentração de população de origem africana e seus descendentes, sendo possível que na composição da comunidade tenha egressos de quilombos.[7]
Ponto de Jongo de Piquete
Solista: Gilberto Agusto da silva (Gil do jongo)
"Bandolê o lê o lê
Bandolê o lê o lá
Bandolei a jongueiro ê
Bandolê o lê o lá
O bandolê o lê lá"
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/O_Jongo_no_Vale_do_Para%C3%ADba_Paulista