segunda-feira, 24 de outubro de 2016

História Atlântica

A História Atlântica é um ramo da História comparada que estuda o mundo Atlântico no início da era moderna[1]. É baseada na ideia de que, após o aumento dos contatos Europeus com o Novo Mundo no século XVI, os continentes que margeiam o oceano Atlântico — as Américas, a Europa e a África — passaram a constituir um sistema regional ou uma esfera comum de intercâmbio econômico e cultural que pode ser estudada como uma totalidade[2].
O seu tema é a complexa interação entre a Europa (especialmente Portugal, Espanha, Grã-Bretanha e França) e as colónias do Novo Mundo. Abrange um alargado número de tópicos nos campos político, económico, social, demográfico, jurídico, militar, intelectual e religiosos tratados de forma comparativa ao olhar-se para ambos os lados do Atlântico. Como exemplo, avivamentos religiosos caracterizam a Grã-Bretanha e a Alemanha, assim como o primeiro grande despertar nas colónias americanas (Revolução americana, Independência da América Espanhola, Independência do Brasil, Independência do Haiti, etc). Migração e etnias/escravidão também tem sido importantes temas de pesquisa. Embora constitua um campo relativamente novo em termos de pesquisa, tem estimulado numerosos estudos de história comparada, nomeadamente no que tange às ideias, ao colonialismo, à escravidão, à História económica e às revoluções políticas no século XVIII, nas Américas do Norte e do Sul, Europa e África[3].
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. - https://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_Atl%C3%A2ntica