sábado, 5 de novembro de 2016

O ECO DAS GERAIS (Transcrição)

...........................................................................................................
Diz Braz Cubas, na sua carta ao Rei, que andou 300 léguas no sertão à busca de ouro. Levado por essa informação o prof. Derby tenta mostrar que Cubas foi, já por essa época, até ao sertão de Minas Gerais. Há mesmo quem pense ter Cubas alcançado o rio Paramerim nos sertóes da Bahia. E isto porque, na carta de Barbosa Leal ao Conde de Sabugosa, depara-se esta passagem: "Não ha noticia de que por ally andace outro descobridor; só ha tradição que hum Paulista, fulano de Cubas, chegara ao Paramerim, adonde descobrira hum grande haver, voltando para S. Paulo"… Tal trecho, contudo, não é lá muito probante, pois, como se sabe, houve outros vários Cubas que, por essa época, andaram pelo sertão. Demais, o fato de Luiz Martins, o companheiro de Cubas, ao voltar ao sertão buscar o ouro que este encontrara, ter somente pesquisado os arredores de Santos, num raio de apenas trinta léguas, dá a entender que Cubas achara o seu ouro por aquela mesma região e não pelos confins de Minas e da Bahia, As 300 léguas de Cubas talvez não passem de 30. É este, hoje. o parecer dos mais abalizados bandeirógrafos.
.............................................................................................................

Fonte: http://migre.me/vqJjF