terça-feira, 22 de novembro de 2016

O Livro do Tombo registra em 1747 - caminho das Minas em direção à Mantiqueira (Transcrição)

Em função do abastecimento das Gerais, ao longo do caminho, após a Freguesia de N. S. da Piedade, preso à sua influência, em direção às mesmas Gerais, o povoamento vai se estendendo.
O Livro do Tombo registra em 1747 que a freguesia possuía 240 fogos com mil e seiscentas pessoas de confissão. Seus habitantes moravam em distância de "meia, uma, duas e três léguas pelo caminho das Minas em direção à Mantiqueira". Nele estavam localizados os bairros: "Vu-au", quatro léguas da matriz; o "Quilombo" e a Capoeira Grande "distante da Matriz três ou mais léguas e meia para duas do "Vuau". Para o bairro do "Vuau" era solicitado erguer uma capela. Estes bairros teriam quarenta fogos com 370 pessoas, concluía p pároco: "são estáveis e prometem aumento". Fonte: http://migre.me/vynfd

Registro (Piquete-SP), inicio do "Vu-au", ou seja, "Lugar do rio ou outra porção de água onde esta é pouco funda e por isso pode ser transposta a pé ou a cavalo.", Vila do "Vu-au", Conceição do Embau (Cruzeiro-SP) Quando então, temos os rios, passa vinte, passa quatro etc. do Roteiro do Rio de Janeiro para Minas Gerais, contido na Obra Cultura e Opulência do Brasil, com sua Minas e Drogas de Andre João Antonil de 1711.